Todo o dia é o dia de começar, continuar, recomeçar e se dar uma nova chance. Estar na presença de Deus é tudo na vida de uma pessoa e ler a sua Palavra Sagrada pode fazer a diferença entre vencer e perder. Faça a sua escolha e seja um VENCEDOR EM CRISTO JESUS. LEIA A BÍBLIA A PARTIR DE AGORA!

sexta-feira, 7 de março de 2014

Leitura Bíblica 66º dia



Números 8

1         E FALOU o Senhor a Moisés, dizendo:

2         Fala a Arão, e dize-lhe: Quando acenderes as lâmpadas, as sete lâmpadas iluminarão o espaço em frente do candelabro.

3         E Arão fez assim: Acendeu as lâmpadas do candelabro para iluminar o espaço em frente, como o Senhor ordenara a Moisés.

4         E era esta a obra do candelabro, obra de ouro batido; desde o seu pé até às suas flores era ele de ouro batido; conforme ao modelo que o Senhor mostrara a Moisés, assim ele fez o candelabro.

5         E falou o Senhor a Moisés, dizendo:

6         Toma os levitas do meio dos filhos de Israel e purifica-os;

7         E assim lhes farás, para os purificar: Esparge sobre eles a água da expiação; e sobre toda a sua carne farão passar a navalha, e lavarão as suas vestes, e se purificarão.

8         Então tomarão um novilho, com a sua oferta de alimentos de flor de farinha amassada com azeite; e tomarás tu outro novilho, para expiação do pecado.

9         E farás chegar os levitas perante a tenda da congregação e ajuntarás toda a congregação dos filhos de Israel.

10       Farás, pois, chegar os levitas perante o Senhor; e os filhos de Israel porão as suas mãos sobre os levitas.

11       E Arão oferecerá os levitas por oferta movida, perante o Senhor, pelos filhos de Israel; e serão para servirem no ministério do Senhor.

12       E os levitas colocarão as suas mãos sobre a cabeça dos novilhos; então sacrifica tu, um para expiação do pecado, e o outro para holocausto ao Senhor, para fazer expiação sobre os levitas.

13       E porás os levitas perante Arão, e perante os seus filhos, e os oferecerá por oferta movida ao Senhor.

14       E separarás os levitas do meio dos filhos de Israel, para que os levitas sejam meus.

15       E depois os levitas entrarão para fazerem o serviço da tenda da congregação; e tu os purificarás, e por oferta movida os oferecerás.

16       Porquanto eles, dentre os filhos de Israel, me são dados; em lugar de todo aquele que abre a madre, do primogênito de cada um dos filhos de Israel, para mim os tenho tomado.

17       Porque meu é todo o primogênito entre os filhos de Israel, entre os homens e entre os animais; no dia em que, na terra do Egito, feri a todo o primogênito, os santifiquei para mim.

18       E tomei os levitas em lugar de todo o primogênito entre os filhos de Israel.

19       E os levitas, dados a Arão e a seus filhos, dentre os filhos de Israel, tenho dado para ministrarem o ministério dos filhos de Israel na tenda da congregação e para fazer expiação pelos filhos de Israel, para que não haja praga entre eles, chegando-se os filhos de Israel ao santuário.

20       E assim fizeram Moisés e Arão, e toda a congregação dos filhos de Israel, com os levitas; conforme a tudo o que o Senhor ordenara a Moisés acerca dos levitas, assim os filhos de Israel lhes fizeram.

21       E os levitas se purificaram, e lavaram as suas vestes, e Arão os ofereceu por oferta movida perante o Senhor, e Arão fez expiação por eles, para purificá-los.

22       E depois vieram os levitas, para exercerem o seu ministério na tenda da congregação, perante Arão e perante os seus filhos; como o Senhor ordenara a Moisés acerca dos levitas, assim lhes fizeram.

23       E falou o Senhor a Moisés, dizendo:

24       Este é o ofício dos levitas: Da idade de vinte e cinco anos para cima entrarão, para fazerem o serviço no ministério da tenda da congregação;

25       Mas desde a idade de cinqüenta anos sairão do serviço deste ministério, e nunca mais servirão;

26       Porém com os seus irmãos servirão na tenda da congregação, para terem cuidado da guarda; mas o ministério não exercerão; assim farás com os levitas quanto aos seus deveres.

Números 9
 1         E FALOU o Senhor a Moisés no deserto de Sinai, no ano segundo da sua saída da terra do Egito, no primeiro mês, dizendo:

2         Celebrem os filhos de Israel a páscoa a seu tempo determinado.

3         No dia catorze deste mês, pela tarde, a seu tempo determinado a celebrareis; segundo todos os seus estatutos, e segundo todos os seus ritos, a celebrareis.

4         Disse, pois, Moisés aos filhos de Israel que celebrassem a páscoa.

5         Então celebraram a páscoa no dia catorze do primeiro mês, pela tarde, no deserto de Sinai; conforme a tudo o que o Senhor ordenara a Moisés, assim fizeram os filhos de Israel.

6         E houve alguns que estavam imundos por terem tocado o corpo de um homem morto; e não podiam celebrar a páscoa naquele dia; por isso se chegaram perante Moisés e Arão naquele mesmo dia;

7         E aqueles homens disseram-lhe: Imundos estamos nós pelo corpo de um homem morto; por que seríamos privados de oferecer a oferta do Senhor a seu tempo determinado no meio dos filhos de Israel?

8         E disse-lhes Moisés: Esperai, e eu ouvirei o que o Senhor vos ordenará.

9         Então falou o Senhor a Moisés, dizendo:

10       Fala aos filhos de Israel, dizendo: Quando alguém entre vós, ou entre as vossas gerações, for imundo por tocar corpo morto, ou achar-se em jornada longe de vós, contudo ainda celebrará a páscoa ao Senhor.

11       No mês segundo, no dia catorze a tarde, a celebrarão; com pães ázimos e ervas amargas a comerão.

12       Dela nada deixarão até à manhã, e dela não quebrarão osso algum; segundo todo o estatuto da páscoa a celebrarão.

13       Porém, quando um homem for limpo, e não estiver em viagem, e deixar de celebrar a páscoa, essa alma do seu povo será extirpada; porquanto não ofereceu a oferta do Senhor a seu tempo determinado; esse homem levará o seu pecado.

14       E, quando um estrangeiro peregrinar entre vós, e também celebrar a páscoa ao Senhor, segundo o estatuto da páscoa e segundo o seu rito assim a celebrará; um mesmo estatuto haverá para vós, assim para o estrangeiro, como para o natural da terra.

15       E no dia em que foi levantado o tabernáculo, a nuvem cobriu o tabernáculo sobre a tenda do testemunho; e à tarde estava sobre o tabernáculo com uma aparência de fogo até à manhã.

16       Assim era de contínuo: a nuvem o cobria, e de noite havia aparência de fogo.

17       Mas sempre que a nuvem se alçava de sobre a tenda, os filhos de Israel partiam; e no lugar onde a nuvem parava, ali os filhos de Israel se acampavam.

18       Segundo a ordem do Senhor, os filhos de Israel partiam, e segundo a ordem do Senhor se acampavam; todos os dias em que a nuvem parava sobre o tabernáculo, ficavam acampados.

19       E, quando a nuvem se detinha muitos dias sobre o tabernáculo, então os filhos de Israel cumpriam a ordem do Senhor, e não partiam.

20       E, quando a nuvem ficava poucos dias sobre o tabernáculo, segundo a ordem do Senhor se alojavam, e segundo a ordem do Senhor partiam.

21       Porém, outras vezes a nuvem ficava desde a tarde até à manhã, e quando ela se alçava pela manhã, então partiam; quer de dia quer de noite alçando-se a nuvem, partiam.

22       Ou, quando a nuvem sobre o tabernáculo se detinha dois dias, ou um mês, ou um ano, ficando sobre ele, então os filhos de Israel se alojavam, e não partiam; e alçando-se ela, partiam.

23       Segundo a ordem do Senhor se alojavam, e segundo a ordem do Senhor partiam; cumpriam o seu dever para com o Senhor, segundo a ordem do Senhor por intermédio de Moisés.

Marcos 13.14-37

               14   Ora, quando vós virdes a abominação do assolamento, que foi predito por Daniel o profeta, estar onde não deve estar (quem lê, entenda), então os que estiverem na Judéia fujam para os montes.

15          E o que estiver sobre o telhado não desça para casa, nem entre a tomar coisa alguma de sua casa;

16          E o que estiver no campo não volte atrás, para tomar as suas vestes.

17          Mas ai das grávidas, e das que criarem naqueles dias!

18          Orai, pois, para que a vossa fuga não suceda no inverno.

19          Porque naqueles dias haverá uma aflição tal, qual nunca houve desde o princípio da criação, que Deus criou, até agora, nem jamais haverá.

20          E, se o Senhor não abreviasse aqueles dias, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos eleitos que escolheu, abreviou aqueles dias.

21          E então, se alguém vos disser: Eis aqui o Cristo; ou: Ei-lo ali; não acrediteis.

22          Porque se levantarão falsos cristos, e falsos profetas, e farão sinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os escolhidos.

23          Mas vós vede; eis que de antemão vos tenho dito tudo.

24          Ora, naqueles dias, depois daquela aflição, o sol se escurecerá, e a lua não dará a sua luz.

25          E as estrelas cairão do céu, e as forças que estão nos céus serão abaladas.

26          E então verão vir o Filho do homem nas nuvens, com grande poder e glória.

27          E ele enviará os seus anjos, e ajuntará os seus escolhidos, desde os quatro ventos, da extremidade da terra até a extremidade do céu.

28          Aprendei, pois, a parábola da figueira: Quando já o seu ramo se torna tenro, e brota folhas, bem sabeis que já está próximo o verão.

29          Assim também vós, quando virdes sucederem estas coisas, sabei que já está perto, às portas.

30          Na verdade vos digo que não passará esta geração, sem que todas estas coisas aconteçam.

31          Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão.

32          Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai.

33          Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo.

34          É como se um homem, partindo para fora da terra, deixasse a sua casa, e desse autoridade aos seus servos, e a cada um a sua obra, e mandasse ao porteiro que vigiasse.

35          Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã,

36          Para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo.

37          E as coisas que vos digo, digo-as a todos: Vigiai.

Salmos 50

1             O DEUS poderoso, o Senhor, falou e chamou a terra desde o nascimento do sol até ao seu ocaso.

2             Desde Sião, a perfeição da formosura, resplandeceu Deus.

3             Virá o nosso Deus, e não se calará; um fogo se irá consumindo diante dele, e haverá grande tormenta ao redor dele.

4             Chamará os céus lá do alto, e a terra, para julgar o seu povo.

5             Ajuntai-me os meus santos, aqueles que fizeram comigo uma aliança com sacrifícios.

6             E os céus anunciarão a sua justiça; pois Deus mesmo é o Juiz. (Selá.)

7             Ouve, povo meu, e eu falarei; ó Israel, e eu protestarei contra ti: Sou Deus, sou o teu Deus.

8             Não te repreenderei pelos teus sacrifícios, ou holocaustos, que estão continuamente perante mim.

9             Da tua casa não tirarei bezerro, nem bodes dos teus currais.

10          Porque meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de montanhas.

11          Conheço todas as aves dos montes; e minhas são todas as feras do campo.

12          Se eu tivesse fome, não to diria, pois meu é o mundo e toda a sua plenitude.

13          Comerei eu carne de touros? ou beberei sangue de bodes?

14          Oferece a Deus sacrifício de louvor, e paga ao Altíssimo os teus votos.

15          E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.

16          Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitar os meus estatutos, e em tomar a minha aliança na tua boca?

17          Visto que odeias a correção, e lanças as minhas palavras para detrás de ti.

18          Quando vês o ladrão, consentes com ele, e tens a tua parte com adúlteros.

19          Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua compõe o engano.

20          Assentas-te a falar contra teu irmão; falas mal contra o filho de tua mãe.

21          Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que era tal como tu, mas eu te argüirei, e as porei por ordem diante dos teus olhos:

22          Ouvi pois isto, vós que vos esqueceis de Deus; para que eu vos não faça em pedaços, sem haver quem vos livre.

23          Aquele que oferece o sacrifício de louvor me glorificará; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus.

Provérbios 10.29-30
 29          O caminho do Senhor é fortaleza para os retos, mas ruína para os que praticam a iniqüidade.

30          O justo nunca jamais será abalado, mas os perversos não habitarão a terra.

Um comentário: