Todo o dia é o dia de começar, continuar, recomeçar e se dar uma nova chance. Estar na presença de Deus é tudo na vida de uma pessoa e ler a sua Palavra Sagrada pode fazer a diferença entre vencer e perder. Faça a sua escolha e seja um VENCEDOR EM CRISTO JESUS. LEIA A BÍBLIA A PARTIR DE AGORA!

sábado, 6 de setembro de 2014

Leitura Bíblica 248º dia



Eclesiastes 10

1         ASSIM como as moscas mortas fazem exalar mau cheiro e inutilizar o ungüento do perfumador, assim é, para o famoso em sabedoria e em honra, um pouco de estultícia.

2         O coração do sábio está à sua direita, mas o coração do tolo está à sua esquerda.

3         E, até quando o tolo vai pelo caminho, falta-lhe o seu entendimento e diz a todos que é tolo.

4         Levantando-se contra ti o espírito do governador, não deixes o teu lugar, porque a submissão é um remédio que aplaca grandes ofensas.

5         Ainda há um mal que vi debaixo do sol, como o erro que procede do governador.

6         A estultícia está posta em grandes alturas, mas os ricos estão assentados em lugar baixo.

7         Vi os servos a cavalo, e os príncipes andando sobre a terra como servos.

8         Quem abrir uma cova, nela cairá, e quem romper um muro, uma cobra o morderá.

9         Aquele que transporta pedras, será maltratado por elas, e o que rachar lenha expõe-se ao perigo.

10       Se estiver embotado o ferro, e não se afiar o corte, então se deve redobrar a força; mas a sabedoria é excelente para dirigir.

11       Seguramente a serpente morderá antes de estar encantada, e o falador não é melhor.

12       Nas palavras da boca do sábio há favor, porém os lábios do tolo o devoram.

13       O princípio das palavras da sua boca é a estultícia, e o fim do seu falar um desvario péssimo.

14       O tolo multiplica as palavras, porém, o homem não sabe o que será; e quem lhe fará saber o que será depois dele?

15       O trabalho dos tolos a cada um deles fatiga, porque não sabem como ir à cidade.

16       Ai de ti, ó terra, quando seu rei é uma criança, e cujos príncipes comem de manhã.

17       Bem-aventurada tu, ó terra, quando seu rei é filho dos nobres, e seus príncipes comem a tempo, para se fortalecerem, e não para bebedice.

18       Por muita preguiça se enfraquece o teto, e pela frouxidão das mãos a casa goteja.

19       Para rir se fazem banquetes, e o vinho produz alegria, e por tudo o dinheiro responde.

20       Nem ainda no teu pensamento amaldiçoes ao rei, nem tampouco no mais interior da tua recâmara amaldiçoes ao rico; porque as aves dos céus levariam a voz, e os que têm asas dariam notícia do assunto.

Eclesiastes 11

1         LANÇA o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás.

2         Reparte com sete, e ainda até com oito, porque não sabes que mal haverá sobre a terra.

3         Estando as nuvens cheias, derramam a chuva sobre a terra, e caindo a árvore para o sul, ou para o norte, no lugar em que a árvore cair ali ficará.

4         Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará.

5         Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas.

6         Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas.

7         Certamente suave é a luz, e agradável é aos olhos ver o sol.

8         Porém, se o homem viver muitos anos, e em todos eles se alegrar, também se deve lembrar dos dias das trevas, porque hão de ser muitos. Tudo quanto sucede é vaidade.

9         Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo.

10       Afasta, pois, a ira do teu coração, e remove da tua carne o mal, porque a adolescência e a juventude são vaidade.

Eclesiastes 12

1         LEMBRA-TE também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento;

2         Antes que se escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva;

3         No dia em que tremerem os guardas da casa, e se encurvarem os homens fortes, e cessarem os moedores, por já serem poucos, e se escurecerem os que olham pelas janelas;

4         E as portas da rua se fecharem por causa do baixo ruído da moedura, e se levantar à voz das aves, e todas as filhas da música se abaterem.

5         Como também quando temerem o que é alto, e houver espantos no caminho, e florescer a amendoeira, e o gafanhoto for um peso, e perecer o apetite; porque o homem se vai à sua casa eterna, e os pranteadores andarão rodeando pela praça;

6         Antes que se rompa o cordão de prata, e se quebre o copo de ouro, e se despedace o cântaro junto à fonte, e se quebre a roda junto ao poço,

7         E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.

8         Vaidade de vaidades, diz o pregador, tudo é vaidade.

9         E, quanto mais sábio foi o pregador, tanto mais ensinou ao povo sabedoria; e atentando, e esquadrinhando, compôs muitos provérbios.

10       Procurou o pregador achar palavras agradáveis; e escreveu-as com retidão, palavras de verdade.

11       As palavras dos sábios são como aguilhões, e como pregos, bem fixados pelos mestres das assembléias, que nos foram dadas pelo único Pastor.

12       E, demais disto, filho meu, atenta: não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne.

13       De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem.

14       Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau.

2 Coríntios 8.1-15

1         TAMBÉM, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus dada às igrejas da Macedônia;

2         Como em muita prova de tribulação houve abundância do seu gozo, e como a sua profunda pobreza abundou em riquezas da sua generosidade.

3         Porque, segundo o seu poder (o que eu mesmo testifico) e ainda acima do seu poder, deram voluntariamente.

4         Pedindo-nos com muitos rogos que aceitássemos a graça e a comunicação deste serviço, que se fazia para com os santos.

5         E não somente fizeram como nós esperávamos, mas a si mesmos se deram primeiramente ao Senhor, e depois a nós, pela vontade de Deus.

6         De maneira que exortamos a Tito que, assim como antes tinha começado, assim também acabasse esta graça entre vós.

7         Portanto, assim como em tudo abundais em fé, e em palavra, e em ciência, e em toda a diligência, e em vosso amor para conosco, assim também abundeis nesta graça.

8         Não digo isto como quem manda, mas para provar, pela diligência dos outros, a sinceridade de vosso amor.

9         Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis.

10       E nisto dou o meu parecer; pois isto convém a vós que, desde o ano passado, começastes; e não foi só praticar, mas também querer.

11       Agora, porém, completai também o já começado, para que, assim como houve a prontidão de vontade, haja também o cumprimento, segundo o que tendes.

12       Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer tem, e não segundo o que não tem.

13       Mas, não digo isto para que os outros tenham alívio, e vós opressão,

14       Mas para igualdade; neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdade;

15       Como está escrito: O que muito colheu não teve de mais; e o que pouco, não teve de menos.

Salmos 49

1         OUVI isto, vós todos os povos; inclinai os ouvidos, todos os moradores do mundo,

2         Tanto baixos como altos, tanto ricos como pobres.

3         A minha boca falará de sabedoria, e a meditação do meu coração será de entendimento.

4         Inclinarei os meus ouvidos a uma parábola; declararei o meu enigma na harpa.

5         Por que temerei eu nos dias maus, quando me cercar a iniqüidade dos que me armam ciladas?

6         Aqueles que confiam na sua fazenda, e se gloriam na multidão das suas riquezas,

7         Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele.

8         (Pois a redenção da sua alma é caríssima, e cessará para sempre),

9         Para que viva para sempre, e não veja corrupção.

10       Porque ele vê que os sábios morrem; perecem igualmente tanto o louco como o brutal, e deixam a outros os seus bens.

11       O seu pensamento interior é que as suas casas serão perpétuas e as suas habitações de geração em geração; dão às suas terras os seus próprios nomes.

12       Todavia o homem que está em honra não permanece; antes é como os animais, que perecem.

13       Este caminho deles é a sua loucura; contudo a sua posteridade aprova as suas palavras. (Selá.)

14       Como ovelhas são postos na sepultura; a morte se alimentará deles e os retos terão domínio sobre eles na manhã, e a sua formosura se consumirá na sepultura, a habitação deles.

15       Mas Deus remirá a minha alma do poder da sepultura, pois me receberá. (Selá.)

16       Não temas, quando alguém se enriquece, quando a glória da sua casa se engrandece.

17       Porque, quando morrer, nada levará consigo, nem a sua glória o acompanhará.

18       Ainda que na sua vida ele bendisse a sua alma; e os homens te louvarão, quando fizeres bem a ti mesmo,

19       Irá para a geração de seus pais; eles nunca verão a luz.

20       O homem que está em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem.

Provérbios 22.20-21 

20       Porventura não te escrevi excelentes coisas, acerca de todo conselho e conhecimento,

21       Para fazer-te saber a certeza das palavras da verdade, e assim possas responder palavras de verdade aos que te consultarem? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário