Todo o dia é o dia de começar, continuar, recomeçar e se dar uma nova chance. Estar na presença de Deus é tudo na vida de uma pessoa e ler a sua Palavra Sagrada pode fazer a diferença entre vencer e perder. Faça a sua escolha e seja um VENCEDOR EM CRISTO JESUS. LEIA A BÍBLIA A PARTIR DE AGORA!

domingo, 16 de março de 2014

Leitura Bíblica 75º dia



Números 24

1         VENDO Balaão que bem parecia aos olhos do Senhor que abençoasse a Israel, não se foi esta vez como antes ao encontro dos encantamentos; mas voltou o seu rosto para o deserto.

2         E, levantando Balaão os seus olhos, e vendo a Israel, que estava acampado segundo as suas tribos, veio sobre ele o Espírito de Deus.

3         E proferiu a sua parábola, e disse: Fala, Balaão, filho de Beor, e fala o homem de olhos abertos;

4         Fala aquele que ouviu as palavras de Deus, o que vê a visão do Todo-Poderoso; que cai, e se lhe abrem os olhos:

5         Quão formosas são as tuas tendas, ó Jacó, as tuas moradas, ó Israel!

6         Como ribeiros se estendem, como jardins à beira dos rios; como árvores de sândalo o Senhor os plantou, como cedros junto às águas;

7         De seus baldes manarão águas, e a sua semente estará em muitas águas; e o seu rei se erguerá mais do que Agague, e o seu reino será exaltado.

8         Deus o tirou do Egito; as suas forças são como as do boi selvagem; consumirá as nações, seus inimigos, e quebrará seus ossos, e com as suas setas os atravessará.

9         Encurvou-se, deitou-se como leão, e como leoa; quem o despertará? benditos os que te abençoarem, e malditos os que te amaldiçoarem.

10       Então a ira de Balaque se acendeu contra Balaão, e bateu ele as suas palmas; e Balaque disse a Balaão: Para amaldiçoar os meus inimigos te tenho chamado; porém agora já três vezes os abençoaste inteiramente.

11       Agora, pois, foge para o teu lugar; eu tinha dito que te honraria grandemente; mas eis que o Senhor te privou desta honra.

12       Então Balaão disse a Balaque: Não falei eu também aos teus mensageiros, que me enviaste, dizendo:

13       Ainda que Balaque me desse a sua casa cheia de prata e ouro, não poderia ir além da ordem do Senhor, fazendo bem ou mal de meu próprio coração; o que o Senhor falar, isso falarei eu?

14       Agora, pois, eis que me vou ao meu povo; vem, avisar-te-ei do que este povo fará ao teu povo nos últimos dias.

15       Então proferiu a sua parábola, e disse: Fala Balaão, filho de Beor, e fala o homem de olhos abertos;

16       Fala aquele que ouviu as palavras de Deus, e o que sabe a ciência do Altíssimo; o que viu a visão do Todo-Poderoso, que cai, e se lhe abrem os olhos.

17       Vê-lo-ei, mas não agora, contemplá-lo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó e um cetro subirá de Israel, que ferirá os termos dos moabitas, e destruirá todos os filhos de Sete.

18       E Edom será uma possessão, e Seir, seus inimigos, também será uma possessão; pois Israel fará proezas.

19       E dominará um de Jacó, e matará os que restam das cidades.

20       E vendo os amalequitas, proferiu a sua parábola, e disse: Amaleque é a primeira das nações; porém o seu fim será a destruição.

21       E vendo os quenitas, proferiu a sua parábola, e disse: Firme está a tua habitação, e puseste o teu ninho na penha.

22       Todavia o quenita será consumido, até que Assur te leve por prisioneiro.

23       E, proferindo ainda a sua parábola, disse: Ai, quem viverá, quando Deus fizer isto?

24       E as naus virão das costas de Quitim e afligirão a Assur; também afligirão a Héber; que também será para destruição.

25       Então Balaão levantou-se, e se foi, e voltou ao seu lugar, e também Balaque se foi pelo seu caminho.


Números 25 


1         E ISRAEL deteve-se em Sitim e o povo começou a prostituir-se com as filhas dos moabitas.

2         Elas convidaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses; e o povo comeu, e inclinou-se aos seus deuses.

3         Juntando-se, pois, Israel a Baal-peor, a ira do Senhor se acendeu contra Israel.

4         Disse o Senhor a Moisés: Toma todos os cabeças do povo, e enforca-os ao Senhor diante do sol, e o ardor da ira do Senhor se retirará de Israel.

5         Então Moisés disse aos juízes de Israel: Cada um mate os seus homens que se juntaram a Baal-peor.

6         E eis que veio um homem dos filhos de Israel, e trouxe a seus irmãos uma midianita, à vista de Moisés, e à vista de toda a congregação dos filhos de Israel, chorando eles diante da tenda da congregação.

7         Vendo isso Finéias, filho de Eleazar, o filho de Arão, sacerdote, se levantou do meio da congregação, e tomou uma lança na sua mão;

8         E foi após o homem israelita até à tenda, e os atravessou a ambos, ao homem israelita e à mulher, pelo ventre; então a praga cessou de sobre os filhos de Israel.

9         E os que morreram daquela praga foram vinte e quatro mil.

10       Então o Senhor falou a Moisés, dizendo:

11       Finéias, filho de Eleazar, o filho de Arão, sacerdote, desviou a minha ira de sobre os filhos de Israel, pois foi zeloso com o meu zelo no meio deles; de modo que, no meu zelo, não consumi os filhos de Israel.

12       Portanto dize: Eis que lhe dou a minha aliança de paz;

13       E ele, e a sua descendência depois dele, terá a aliança do sacerdócio perpétuo, porquanto teve zelo pelo seu Deus, e fez expiação pelos filhos de Israel.

14       E o nome do israelita, que foi morto com a midianita, era Zimri, filho de Salu, príncipe da casa paterna dos simeonitas.

15       E o nome da mulher midianita morta era Cosbi, filha de Zur, cabeça do povo da casa paterna entre os midianitas.

16       Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo:

17       Afligireis os midianitas e os ferireis,

18       Porque eles vos afligiram a vós com os seus enganos com que vos enganaram no caso de Peor, e no caso de Cosbi, filha do príncipe dos midianitas, irmã deles, que foi morta no dia da praga no caso de Peor.


Lucas 2.1-35

1         E ACONTECEU naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse

2         (Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria).

3         E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.

4         E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),

5         A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.

6         E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.

7         E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.

8         Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.

9         E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.

10       E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:

11       Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.

12       E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.

13       E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:

14       Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.

15       E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber.

16       E foram apressadamente, e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura.

17       E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita;

18       E todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam.

19       Mas Maria guardava todas estas coisas, conferindo-as em seu coração.

20       E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito.

21       E, quando os oito dias foram cumpridos, para circuncidar o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto antes de ser concebido.

22       E, cumprindo-se os dias da purificação dela, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor

23       (Segundo o que está escrito na lei do Senhor: Todo o macho primogênito será consagrado ao Senhor);

24       E para darem a oferta segundo o disposto na lei do Senhor: Um par de rolas ou dois pombinhos.

25       Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; e este homem era justo e temente a Deus, esperando a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele.

26       E fora-lhe revelado, pelo Espírito Santo, que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor.

27       E pelo Espírito foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus, para com ele procederem segundo o uso da lei,

28       Ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse:

29       Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, Segundo a tua palavra;

30       Pois já os meus olhos viram a tua salvação,

31       A qual tu preparaste perante a face de todos os povos;

32       Luz para iluminar as nações, E para glória de teu povo Israel.

33       E José, e sua mãe, se maravilharam das coisas que dele se diziam.

34       E Simeão os abençoou, e disse a Maria, sua mãe: Eis que este é posto para queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditado

35       (E uma espada traspassará também a tua própria alma); para que se manifestem os pensamentos de muitos corações.


Salmos 59

1         LIVRA-ME, meu Deus, dos meus inimigos, defende-me daqueles que se levantam contra mim.

2         Livra-me dos que praticam a iniqüidade, e salva-me dos homens sanguinários.

3         Pois eis que põem ciladas à minha alma; os fortes se ajuntam contra mim, não por transgressão minha ou por pecado meu, ó Senhor.

4         Eles correm, e se preparam, sem culpa minha; desperta para me ajudares, e olha.

5         Tu, pois, ó Senhor, Deus dos Exércitos, Deus de Israel, desperta para visitares todos os gentios; não tenhas misericórdia de nenhum dos pérfidos que praticam a iniqüidade. (Selá.)

6         Voltam à tarde; dão ganidos como cães, e rodeiam a cidade.

7         Eis que eles dão gritos com as suas bocas; espadas estão nos seus lábios, porque, dizem eles: Quem ouve?

8         Mas tu, Senhor, te rirás deles; zombarás de todos os gentios;

9         Por causa da sua força eu te aguardarei; pois Deus é a minha alta defesa.

10       O Deus da minha misericórdia virá ao meu encontro; Deus me fará ver o meu desejo sobre os meus inimigos.

11       Não os mates, para que o meu povo não se esqueça; espalha-os pelo teu poder, e abate-os, ó Senhor, nosso escudo.

12       Pelo pecado da sua boca e pelas palavras dos seus lábios, fiquem presos na sua soberba, e pelas maldições e pelas mentiras que falam.

13       Consome-os na tua indignação, consome-os, para que não existam, e para que saibam que Deus reina em Jacó até aos fins da terra. (Selá.)

14       E tornem a vir à tarde, e dêem ganidos como cães, e cerquem a cidade.

15       Vagueiem para cima e para baixo por mantimento, e passem a noite sem se saciarem.

16       Eu, porém, cantarei a tua força; pela manhã louvarei com alegria a tua misericórdia; porquanto tu foste o meu alto refúgio, e proteção no dia da minha angústia.

17       A ti, ó fortaleza minha, cantarei salmos; porque Deus é a minha defesa e o Deus da minha misericórdia.


Provérbios 11.14
 14       Não havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão de conselhos há segurança.


Nenhum comentário:

Postar um comentário