Todo o dia é o dia de começar, continuar, recomeçar e se dar uma nova chance. Estar na presença de Deus é tudo na vida de uma pessoa e ler a sua Palavra Sagrada pode fazer a diferença entre vencer e perder. Faça a sua escolha e seja um VENCEDOR EM CRISTO JESUS. LEIA A BÍBLIA A PARTIR DE AGORA!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Leitura Bíblica 358º dia



Zacarías 6.1-7.14

1         Olhei novamente e vi diante de mim quatro carruagens que vinham saindo do meio de duas montanhas de bronze.
 2        À primeira estavam atrelados cavalos vermelhos, à segun­da, cavalos pretos,
 3        à terceira, cavalos brancos, e à quarta, cavalos malhados. Todos eram vigorosos.
 4        Perguntei ao anjo que falava comi­go: Que representam estes cavalos atrelados, meu senhor?
 5        O anjo me respondeu: Estes são os quatro espíritos dos céus, que acabam de sair da presença do Soberano de toda a terra.
6         A carruagem puxada pelos cavalos pretos vai em direção à terra do norte, a que tem cavalos brancos vai em direção ao ocidente, e a que tem cavalos malhados vai para a terra do sul.
7         Os vigorosos cavalos avançavam, impa­cientes por percorrer a terra. E o anjo lhes disse: “Percorram toda a terra!” E eles foram.
 8        Então ele me chamou e disse: “Veja, os que foram para a terra do norte deram repouso ao meu Espírito naquela terra”.
9         E o Senhor me ordenou:
 10      Tome prata e ouro dos exilados Heldai, Tobias e Jedaías, que chegaram da Babilônia. No mesmo dia vá à casa de Josias, filho de Sofonias.
 11      Pegue a prata e o ouro, faça uma coroa, e coloque-a na cabeça do sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque.
 12      Diga-lhe que assim diz o Senhor dos Exércitos: Aqui está o homem cujo nome é Renovo, e ele sairá do seu lugar e construirá o templo do Senhor.
 13      Ele construirá o templo do Senhor, será revestido de majestade e se assentará em seu trono para governar. Ele será sacerdote no trono. E haverá harmonia entre os dois.
 14      A coroa será para Heldai, Tobias, Jedaías e Hem, filho de Sofonias, como um memorial no templo do Senhor.
15       Gente de longe virá ajudar a construir o templo do Senhor. Então vocês sabe­rão que o Senhor dos Exércitos me enviou a vocês. Isto só acontecerá se obedecerem fielmente à voz do Senhor, o seu Deus.
Capítulo 7

 1        No quarto ano do reinado do rei Dario, a palavra do Senhor veio a Zacarias, no quarto dia do nono mês, o mês de quisleu.
2         Foi quando o povo de Betel enviou Sarezer e Regém-Meleque com seus homens, para suplicarem ao Senhor,
 3        perguntando aos sacerdotes do templo do Senhor dos Exércitos e aos profetas: “Devemos lamentar e jejuar no quinto mês, como já estamos fazendo há tantos anos?”
 4        Então o Senhor dos Exércitos me falou:
 5        Pergunte a todo o povo e aos sacerdotes: Quando vocês jejuaram no quinto e no sétimo meses durante os últimos setenta anos, foi de fato para mim que jejuaram?
 6        E quando comiam e bebiam, não era para vocês mesmos que o faziam?
 7        Não são essas as palavras do Senhor proclamadas pelos antigos profetas quando Jerusalém e as cidades ao seu redor estavam em paz e prosperavam, e o Neguebe e a Sefelá eram habitados?
 8        E a palavra do Senhor veio novamente a Zacarias:
 9        Assim diz o Senhor dos Exércitos: Administrem a verdadeira justiça, mos­trem misericórdia e compaixão uns para com os outros.
 10      Não oprimam a viúva e o órfão, nem o estrangeiro e o necessitado. Nem tra­mem maldades uns contra os outros.
 11      Mas eles se recusaram a dar atenção; teimosamente viraram as costas e taparam os ouvidos.
 12      Endureceram o coração e não ouviram a Lei e as palavras que o Senhor dos Exércitos tinha falado, pelo seu Espírito, por meio dos antigos profetas. Por isso o Senhor dos Exércitos irou-se muito.
 13      “Quando eu os chamei, não me deram ouvidos; por isso, quando eles me chamarem, também não os ouvirei”, diz o Senhor dos Exércitos.
 14      “Eu os espalhei com um vendaval entre nações que eles nem conhecem. A terra que deixaram para trás ficou tão destruída que ninguém podia atravessá-la. Foi assim que transformaram a terra aprazível em ruínas.”
Apocalipse 15

 1        Vi no céu outro sinal, grande e maravilhoso: sete anjos com as sete últimas pragas, pois com elas se completa a ira de Deus.
 2        Vi algo semelhante a um mar de vidro misturado com fogo, e, em pé, junto ao mar, os que tinham vencido a besta, a sua imagem e o número do seu nome. Eles seguravam harpas que lhes haviam sido dadas por Deus,
 3        e cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus todo-poderoso. Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações.
 4        Quem não te temerá, ó Senhor? Quem não glorificará o teu nome? Pois tu somente és santo. Todas as nações virão à tua presença e te adorarão, pois os teus atos de justiças e tornaram manifestos.
 5        Depois disso olhei e vi que se abriu nos céus o santuário, o tabernáculo da aliança.
 6        Saíram do santuário os sete anjos com as sete pragas. Eles estavam vestidos de linho puro e resplandecente, e tinham cinturões de ouro ao redor do peito.
 7        E um dos quatro seres viventes deu aos sete anjos sete taças de ouro cheias da ira de Deus, que vive para todo o sempre.
 8        O santuário ficou cheio da fumaça da glória de Deus e do seu poder, e ninguém podia entrar no santuário enquanto não se completassem as sete pragas dos sete anjos.
Salmos 143

1         Atende, SENHOR, a minha oração, dá ouvidos às minhas súplicas. Responde-me, segundo a tua fidelidade, segundo a tua justiça.
 2        Não entres em juízo com o teu servo, porque à tua vista não há justo nenhum vivente.
 3        Pois o inimigo me tem perseguido a alma; tem arrojado por terra a minha vida; tem-me feito habitar na escuridão, como aqueles que morreram há muito.
 4        Por isso, dentro de mim esmorece o meu espírito, e o coração se vê turbado.
 5        Lembro-me dos dias de outrora, penso em todos os teus feitos e considero nas obras das tuas mãos.
 6        A ti levanto as mãos; a minha alma anseia por ti, como terra sedenta.
 7        Dá-te pressa, SENHOR, em responder-me; o espírito me desfalece; não me escondas a tua face, para que eu não me torne como os que baixam à cova.
 8        Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma.
 9        Livra-me, SENHOR, dos meus inimigos; pois em ti é que me refugio.
 10      Ensina-me a fazer a tua vontade, pois tu és o meu Deus; guie-me o teu bom Espírito por terreno plano.
 11      Vivifica-me, SENHOR, por amor do teu nome; por amor da tua justiça, tira da tribulação a minha alma.
 12      E, por tua misericórdia, dá cabo dos meus inimigos e destrói todos os que me atribulam a alma, pois eu sou teu servo.
Provérbios 30.24-28

24       Há quatro coisas mui pequenas na terra que, porém, são mais sábias que os sábios:
 25      as formigas, povo sem força; todavia, no verão preparam a sua comida;
 26      os arganazes, povo não poderoso; contudo, fazem a sua casa nas rochas;
 27      os gafanhotos não têm rei; contudo, marcham todos em bandos;
 28      o geco, que se apanha com as mãos; contudo, está nos palácios dos reis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário